X




X
MOÇAMBIQUE

01 Jun

A dragagem do canal de acesso ao porto de Maputo para permitir a entrada de navios até 80 mil toneladas de arqueação bruta deve iniciar-se nos próximos dias, tendo o respectivo contrato já sido assinado, escreve o jornal Domingo.

O contrato, que representa um custo de 100 milhões de dólares para uma empreitada de dez meses, foi assinado entre a Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo e a Jan de Nul Dredging Middle East FZE, uma empresa de dragagem com sede no Dubai, Emirados Árabes Unidos, do grupo familiar Jan de Nul, com sede financeira no Luxemburgo.

A dragagem para aprofundar o canal de aproximação dos actuais 11 metros para 14 metros vai criar condições para uma navegação segura e garantir que os navios com maior capacidade procedam à sua atracação e desatracação e manobras em segurança, tornando o Porto de Maputo mais competitivo.

A anterior operação de dragagem do canal do porto de Maputo permitiu o acesso de navios até 65 mil toneladas, o que contribuiu para a expansão dos terminais de ferro-crómio e de contentores, um novo terminal de cereais e a recuperação dos cais três, quatro e cinco.

A Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo é uma empresa privada que resulta da parceria entre a estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique e a Portus Indico, constituída pelos grupos Grindrod da África do Sul, DP World dos Emirados Árabes Unidos e a empresa moçambicana Mozambique Gestores. (Macauhub/MZ)

Fonte: Newsletter APLOP
Fonte fotográfica: Newsletter APLOP