X




X
PAVILHÃO CARLOS LOPES

03 Nov
É neste moderno e lindíssimo espaço, agora reabilitado, que vai decorrer, a 10 e 11 de novembro próximos, o 16º Congresso da APAT. Localizado no coração de Lisboa, poucos sabem que este pavilhão, entre o projeto, a construção e posterior reconstrução, atravessou o Atlântico
 
O cenário escolhido para o XVI Congresso da APAT é um dos mais emblemáticos da cidade de Lisboa: o Pavilhão Carlos Lopes.
O edifício foi projetado pelos arquitetos portugueses Carlos Rebelo de Andrade (1887-1971) e Guilherme Rebelo de Andrade (1891-1969) mas construído no Brasil para representar Portugal na Exposição Internacional do Rio de Janeiro, organizada em 1922. Desmantelado, foi mais tarde trazido de barco para Portugal e reconstruído no lugar onde hoje se encontra, no parque Eduardo VII.
A Exposição Industrial Portuguesa, em 1932, motivou a sua reinauguração como Palácio das Exposições e das Festas e nos anos 40 sofreu adaptações para acolher o campeonato mundial de Hóquei em Patins de 1947, tendo sido renomeado em 1949 como Pavilhão dos Desportos.
Na década da Revolução, após o 25 de abril de 1974, abriu também as suas portas a eventos político-partidários e culturais, para além dos desportivos.
Em 1984, quando o atleta Carlos Lopes ganhou a medalha de ouro na Maratona de Los Angeles (nos Estados Unidos) e estabeleceu um novo recorde olímpico, a bela construção, símbolo do Estado Novo do primeiro terço do século XX, foi-lhe dedicada a título de homenagem. “Nascia” assim o Pavilhão Carlos Lopes.
No entanto, com os anos foi perdendo o brilho e começou a acusar a passagem do tempo, tendo sido encerrado em 2003.
 
Renascer das cinzas
Mais recentemente, o pavilhão foi alvo de intervenção para reabrir em 2017 com todo o esplendor e para acolher os mais diversos acontecimentos culturais, corporativos, comerciais e desportivos, entre outros.
A sua escolha para receber o 16º Congresso da APAT está assim mais do que justificada. Congressistas e convidados vão poder desfrutar, nos próximos dias 10 e 11 de novembro, deste moderno espaço multiusos agora reabilitado.
Todas as fachadas, áreas e elementos de interesse patrimonial foram restaurados, mantendo as suas características originais, nomeadamente os azulejos, elementos decorativos, torreões e salão nobre. O edifício está dividido em quatro partes: entrada (onde se encontram duas estátuas que simbolizam a Arte e a Ciência), salão nobre, sala dos azulejos (que relatam marcos da nossa História com temas dedicados a Sagres, à Batalha de Ourique, à Ala dos Namorados na Batalha de Aljubarrota e ao Cruzeiro do Sul,) e salão multiusos. No total, tem capacidade para receber mais de 3700 pessoas.
 
COORDENADAS GPS
Latitude: 38.7289058 
Longitude: -9.151788799999963